S. P. de Atacama - Calama - Antofagasta

Dia de se despedir de San Pedro de Atacama, tomamos um café com os donos do nosso hostel e conversamos mais um pouco. A propósito, quase todas as noites nos reuníamos na sala e conversávamos sobre viagens, cultura e cotidiano dos nossos países. Fizemos boas amizades aqui.


Seguimos na direcao de Calama, aonde o trecho passa pelo Vale de La Muerte, aonde haviamos estado no primeiro dia com o tour. O caminho durante todo o dia ainda é deserto, afinal deixamos San Pedro mas continuamos no Deserto do Atacama.

Em Calama, uma cidade relativamente grande com 150 mil habitantes, fizemos a visita gratuita a maior mina de cobre a céu aberto do mundo, Chuquicamata. Tudo na mina é enorme, ou melhor, gigante! Iniciamos a visita passando pelo "acampamento" de Chiquicamata, agora inabitado. Na verdade ali era uma cidade inteira, com teatro, banco, mercados,escola, hospital e até um estádio de futebol!


Passamos a mina, que tem 5km de comprimento por 3km de largura e 2km de profundidade (pensa no tamanho do buraco!). A extracao que iniciou com os norte-americanos já dura mais de 100 anos e tem previsao de outros 100, algo realmente incomum quando se trata de mineiracao. Chuquicamata é hoje um local que virou estudo geologico, pois fica entre duas placas tectonicas e é alimentada por magna e diversos eventos sismicos.


Os caminhoes pegam a terra com rocha e trazem até o processo de obtencao do cobre, gastando a bagatela de 3 litros de diesel por minuto e carregando até 400 toneladas. Deste material se extrai 1% de cobre puro, além de alguns outros minerais como o molibdenio. Chuquicamata produz 40% do cobre mundial, tendo como seu maior cliente a Asia com 55% do cobre produzido ali (a China sozinha representa 36%).

Após todo o passeio, seguimos viagem para conhecer mais uma obra humana, a escultura Mano del Desierto que se localiza cerca de 70km ao sul de Antofagasta pela Ruta 5. Chegamos ao anoitecer e ainda pegamos os último minutos do sol. Depois fomos nos hospedar no Ibis - Antofagasta que se localiza na belíssima costa chilena.


A cidade como um todo nos pareceu muito bonita e lembra Montevideo. Jantamos um Fettuttini com frutos do mar e uma salada que incluía na composicao um saboroso abacate que só o Alisson comeu! Ainda sobre alimentacao, esta foi a segunda vez que comemos abatace na salada.

2 comentários