Puno - La Paz

Hoje foi um dia dedicado ao passeio mais interessante desta viagem aqui no Peru, conhecer as ilhas flutuantes de Uros. Saímos do porto de Puno e pegamos uma embarcação com outros turistas até uma das comunidades de ilhas flutuantes do Lago Titicaca, chamada de Uros. Ali já tivemos uma desmistificaçao, além de Uros existem outras comunidades que vivem em ilhas flutuantes, como Amantani e Taquile.




O povo das Ilhas de Uros estão muito bem preparados para o turismo (assim como todos os atrativos peruanos que vimos). Recebem os turistas, fazem uma explicação de como são construidas as ilhas (a base de Totora) e como eles vivem, suas tradições e costumes.

A totora, que é muito parecida com o nosso peri, é usada desde a construção das ilhas, casas, barcos e até como alimento. Experimentamos e parece cana de açucar sem açucar!!

Os habitantes nos levam para suas casas (que na verdade são somente os quartos) e ali convidam as meninas a se vestirem como nativas. A Adri ficou muito bem naquele traje. Depois saímos (com as meninas caracterizadas) a fazer umas compras de artesanato, passeio de barco e por fim uma boa sessão de fotos.


Voltando a Puno, fomos almoçar uma iguaria peruana, o Ceviche de Trucha. O prato é bem interessante, um pouco forte devido ao limão e alho. Dali saímos na direção de Desaguadero, fronteira com a Bolívia fazendo várias fotos do Lago Titicaca e as diversas plantaçoes de Quinoa. Estávamos com uma boa impressão do Peru até que fomos parados pela polícia rodoviária local.


Já havíamos sido avisados que naquele trecho a polícia era extremamente corrupta e arranjava uma maneira de estorquir os turistas, conosco não foi diferente. Iniciaram a abordagem dizendo que nosso SOAT estava vencido, mostramos no próprio documento que haviamos comprado a 2 dias atrás com validade de um mês. Não contentes, disseram que alguém havia ligado dizendo que estávamos em alta velocidade, assim sendo tentamos argumentar que estávamos andando junto aos carros e obecendo as sinalizações, mas não teve jeito (estávamos falando a verdade). Então decidi pagar logo, ainda comentei com a Adri: "vou lá pagar de uma vez pra irmos embora rápido". E assim foram 40 Soles e 10 Reais!

Na fronteira no lado peruano, que já imaginávamos ser bem bagunçada, fomos prontamente atendidos e até brincaram com meu nome dizendo que Alisson era nome de "chica". No lado Boliviano, uma muvuca, todos, sem fila, faziam seus tramites e nós estávamos naquele meio, foi uma experiencia divertida.


No caminho até La Paz, uma via com poucos buracos, não muito bem sinalizada mas bem segura, cheia de vans transportando locais e turistas. Na chegada, o trânsito maluco estava em seu horario de pico. O comércio local bombando, com barracas, lojas, ambulantes por todos os lados no meio das vans, tuque-tuques, carros, pessoas...um inferno!

Chegamos no hotel, fizemos o check in e saímos para jantar no "Snack Tia Gladys", um lugar simpático cheio de recados pelas mesas e paredes, com uma comida bem gostosa.

2 comentários

  1. Nem da para reconhecer a Adriana com roupa típica heim? :)
    Infelizmente a polícia peruana continua a mesma né?

    ResponderExcluir
  2. Minha nora estava parecida com uma Branca de neve Peruana.

    ResponderExcluir