Brasília/DF - Laranjal Paulista/SP

Chegou a hora de retornarmos pra casa pessoal...

Saímos bem cedo de Brasília (07:30h) rumo ao estado de SP..a cidade iríamos decidir no caminho, já que tínhamos nos programado para chegar em Laranjal Paulista/SP (cidade dos nossos amigos Leco e Michele) somente na sexta-feira pela manhã. O que aconteceu foi que, pelo fato da estrada ser boa e por termos saído cedo, chegamos em Ribeirão Preto/SP por volta de 16:00h. Como era cedo, decidimos ir tocando..e assim fizemos até Laranjal. Chegamos por volta das 21:00, após termos rodado aprox. 960 Km!!! Isso mesmo..quase 1000 Km em um dia! Acho que exageramos um pouquinho...no final do trecho meus joelhos doíam e eu não tinha mais posição para sentar. Enfim, chegamos e fomos muito bem recebidos pelo casal e pela família do Leco.

Hoje estamos aqui em Laranjal para descansar um pouco e colocar a conversa em dia, mas amanhã cedo seguimos rumo à Joinville. Só sei que me sinto mais resistente e nem ligo para os quase 600 Km que nos separam de casa..pra quem rodou quase 1000, isso não é nada! hehehe

Bem, esta viagem está no fim mas gostaria de registar algumas coisas, bem como fatos engraçados e curiosidades que vivenciamos..

Tudo pra mim era novo...os lugares eram desconhecidos, o modo de viver das pessoas, a experiência de dormir cada dia em um lugar diferente, bem como andar mais de 600 Km por dia como caroneira em uma moto (em média, porém não andamos isso todos os dias). Lembrando que não é qualquer moto. A mônica chama a atenção mesmo, as pessoas param pra perguntar, se impressionam e nos chamam de corajosos por estarmos realizando a viagem. Dão dicas de roteiros e passeios. É realmente bem gostoso conversar com as pessoas pelo caminho.

Além da rotina de fazer e desfazer as malas usando em espaço restrito, parar para colocar e tirar a capa de chuva; comer em qualquer beira de estrada, mas também comer em bons restaurantes, se surpreender com a infraestrutura ou a falta dela em alguns lugares, observar um modo de vida totalmente desprendido de tempo, com referências muito diferentes das nossas. Acredito que se permitir vivenciar coisas diferentes é muito importante no nosso dia a dia. Portanto, tudo isso que vivemos é muito válido para mudarmos a forma de pensar em alguns aspectos, manter nossa forma de agir e pensar sob outros aspectos e principalmente aguçar a curiosidade sobre o mundo e acima de tudo, nos ajudar a identificar e respeitar a diversidade.

Estamos bastante satisfeitos com tudo mesmo e aproveito para fazer um agradecimento ao meu piloto preferido, que foi como sempre muito prudente, atencioso, corajoso e guerreiro. Confio muito em você (e na Mônica também..hehe) e sempre que possível estarei ao seu lado, ou melhor, na sua garupa.


Agora vem os relatos engraçados e curiosidades:

- Estávamos indo para Formoso do Araguaia, quando paramos em um posto para abastecer e pedir informações sobre a estrada. Foi quando o rapaz que atendeu o Alisson soltou essa: "Rapaz..nessa estrada não tem niguém não..é você, sua namorada, sua moto e Deus"
(Viemos a viagem inteira lembrando e rindo deste episódio).

- Na ocasião que o Alisson foi fazer a Tirolesa, eu fui junto para tirar foto. Quando chegamos, a equipe toda nos foi apresentada, inclusive o "motorista". Entramos no carro que nos levaria até o local da Tirolesa e percebemos que tinha alguma coisa de errado pois o motorista não sabia o caminho. Isso mesmo, ele estava perdido, não sabia pra onde ia. Como se não bastasse isso, o cara parou o caro em meio à lama. Resultado, ficamos atolados!

- Outro dia no caminho para a Chapada dos Veadeiros, paramos para almoçar em um restaurante de um posto de gasolina. Como de costume, deixamos as jaquetas e os capacetes em cima de uma mesa e fomos nos servir. Quando voltei, vi duas senhoras sentadas na nossa mesa, já almoçando. Eu olhei pra elas, meio sem saber o que fazer e elas simplismente olharam pra mim, não falaram nada. Aí oque me restou foi pedir com licença e retirar as nossas coisas dali...foi bizarro!

- Ontem outro episódio engraçado também em um restaurante. Eu estava esperando o Alisson enquanto folheava algumas revistas. Foi quando uma moça se aproximou de mim e foi logo dizendo: "Eu quero beber uma água com limão, como é que eu faço??" Eu simplismente disse que não trabalhava ali, mas fiquei pensando qual seria o motivo de ela ter pensado que eu era funcionária, sendo que eu estava toda vestida como motociclista...

- Também foi engraçado a indignação de uma senhora durante uma visita ao Palácio do Itamarati. O guia havia solicitado para que não andassemos sobre os tapestes persas (enormes). Deduzimos que a quantidade de visitantes era grande e o motivo seria a preservação dos tapetes. Quando subitamente a senhora perguntou indignada: "E nos dias de festa, as pessoas também não pisam nos tapetes??". O Guia parecia não acreditar no que estar ouvindo..hehe

- Ah, essa eu não poderia esquecer..Na ocasião que visitamos o anexo IV do senado, estávamos no 10° e último andar do edifício. Estávamos aguardando o elevador, foi quando ao abrir a porta, o Alisson perguntou ao controlador de elevador: "Desce?" Óbvio que só poderia descer..estávamos no último andar..hehehe

Uma curiosidade que gostaria de comentar foi que no momento que estávamos aguardando a visita no Palácio da Alvorada, presenciamos a chegada do Lula. Não foi possível vê-lo, pois o carro tinha película muito preta. Ele chegou acompanhado de mais três carros de segurança e uma ambulância. Após a sua chegada, a Bandeira do Brasil foi hasteada, sinalizando a sua presença no palácio. Após sua saída, os dragões da independêndia retiraram a bandeira. Funciona da mesma forma no congresso nacional. A bandeira hasteada simboliza que está havendo seção no senado ou na câmara.



1 comentários

  1. Parabéns aos queridos amigos! Grandiosa aventura! É pra ficar na história do casal! Desejo muitas outras viagens a vcs! Forte abraço do Folle! Ah, estou curioso pra escutar pessoalmente os detalhes da viagem!

    ResponderExcluir